Setembro Amarelo: Precisamos falar sobre o assunto!

Compartilhe
Setembro Amarelo: Precisamos falar sobre o assunto!

Setembro Amarelo: Precisamos falar sobre o assunto!

Segundo a CVV – Centro de Valorização da Vida – a cada 45 minutos um brasileiro comete suicídio. Esse número já deveria ser suficiente para estimular as pessoas a se mobilizarem pela prevenção dessas mortes precoces, mas apesar dos avanços, os tabus, preconceitos e vergonhas ainda são adversários dessa luta diária.

E desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP, em parceria com o Conselho Federal de Medicina – CFM, organiza nacionalmente o Setembro Amarelo. O dia 10 deste mês é, oficialmente, o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, mas a campanha acontece durante todo o mês, para que possamos informar as pessoas sobre a depressão, que é umas das maiores doenças causadoras de suicídio e seus tratamentos, para que o caso não evolua para uma tentativa ou um suicídio.

O que é a depressão?

A depressão é um transtorno mental, que afeta o humor, gerando tristeza profunda e persistente, e afetando de forma negativa o modo como as pessoas se sentem, pensam e agem.

Ela causa tanto sintomas psicológicos quanto físicos, que nem sempre são facilmente reconhecidos. Assim, para identificar uma pessoa com depressão, segundo as orientações do Manual de Diagnósticos de Transtornos Mentais (DSM V), é necessário observar os seguintes sinais e sintomas:

Humor deprimido e/ou perda de interesse ou prazer para as atividades do dia-a-dia, que são persistentes e surgem em todos ou quase todos os dias.
Além disso, a pessoa deve apresentar pelo menos 3 ou 4 de outros possíveis sintomas, como:

Perda ou ganho de peso acentuado sem estar em dieta;

Aumento ou diminuição de apetite;

Insônia ou excesso de sono;

Agitação ou lentificação;

Fadiga e perda de energia;

Sentimento de inutilidade ou culpa excessiva ou inadequada;

Indecisão ou capacidade diminuída de pensar ou concentrar-se;

Pensamentos de morte, vontade de morrer, assim como tentativa ou planejamento da mesma.

Na presença desses sintomas é necessário a procura de um psicólogo, para verificar as possíveis causas e os tratamentos adequados. A comunicação é a melhor prevenção.

RECEBA NOVIDADES