Saiba como evitar os perigos que o mofo oferece à sua saúde

Compartilhe
Saiba como evitar os perigos que o mofo oferece à sua saúde

Com a chegada de épocas mais quentes durante o ano, acompanhadas por umidade e falta de ventilação, o ambiente pode ficar mais sujeito a mofo, o que pode prejudicar a sua saúde severamente. Além de piorar os sintomas de quem já sofre com asma, rinite ou sinusite, o mofo também pode causar reações alérgicas oftalmológicas e pulmonares. Entenda o que é, o que causa e como se livrar do mofo.

 

O que é o mofo?

O mofo é uma formação de microrganismos constituídos por vários tipos de fungos que não podem ser vistos a olho nu, pois o que vemos são apenas as estruturas da formação desses organismos. Os fungos se multiplicam em ambientes úmidos e escuros, com pouca luz e pouco arejamento.

 

A estrutura do mofo contém esporos que ficam no ar e podem ser inalados pelas pessoas que frequentam o local.

O que causa o mofo?

Não há apenas um único fator que possa causar o mofo, pois a combinação de falta de arejamento, umidade e falta de luz solar é o que pode ocasionar o aparecimento desses fungos.

 

Os locais mais comuns para a formação do mofo são atrás de guarda-roupas, armários, debaixo da cama e ambientes semelhantes onde haja pouca luz e umidade.

 

Sintomas causados pelo mofo

Quando o esporo do mofo se espalha, ou seja, quando eles ficam soltos no ar e são inalados, é extremamente comum que o sistema imunológico da pessoa reaja com espirros, obstrução nasal, tosse, falta de ar e coceira.

 

Outro sintoma que pode aparecer também é a rinoconjuntivite, afetando os olhos da pessoa que podem ficar avermelhados, lacrimejando e em alguns casos pode causar até mesmo inchaço.

 

É importante entender os perigos que o mofo oferece, pois os danos à sua saúde podem ser severos. Ao inalar o mofo, geralmente os pelos na mucosa do nariz servem como barreira, mas caso alguma partícula de fungo consiga chegar até o pulmão e região da garganta, doenças respiratórias podem surgir, como a pneumonia fúngica e a sinusite fúngica.

 

Como evitar o mofo?

Para evitar o mofo é importante e indispensável que o ambiente não esteja propício para sua instalação ou propagação.

 

A circulação de ar é muito importante para evitar que fungos se instalem e criem mofo. Manter janelas e portas abertas, viabilizando a passagem de ar por toda a casa, mesmo durante os períodos de inverno, ajuda a evitar que o mofo consiga se difundir.

  

Em locais onde há a constante presença de água e umidade, como cozinhas, banheiros e lavanderias, é importante que os azulejos sejam constantemente limpos com produtos e desinfetantes específicos para combater o mofo. Deste modo, mesmo que haja umidade no local, o mofo será combatido.

 

É importante também ficar atento a locais que não estão constantemente à vista, como paredes atrás de móveis, cortinas pesadas, colchões, roupas guardadas e debaixo de camas. Por não haver grande circulação de ar nesses locais, qualquer presença de umidade pode favorecer o crescimento de mofo.

 

Orientação Médica

É importante que durante crises alérgicas causadas pelo mofo o paciente pegue orientação médica, em que o profissional da saúde poderá avaliar a atual situação e indicar se há a real necessidade de comparecer a um hospital emergencial.

 

Por isso, a Medicar oferece o serviço de Orientação Médica por telefone disponível 24 horas por dia, em que você poderá tirar todas as suas dúvidas. Assim você poderá priorizar a sua saúde de forma rápida e eficaz. Contrate os serviços Medicar agora mesmo, custa bem menos do que você imagina. Ter Medicar custa pouco, não ter pode custar uma vida. Entre em contato conosco!

RECEBA NOVIDADES